Racha entre Gladson e Rocha em plena pandemia marca novo momento político do Acre, diz colunista

Fim da lua de mel

Com as exonerações de Joelson Dias e Abraão Púpio da Segurança Pública, inicia-se um novo ciclo no trato do governador Gladson Cameli (PP) e o vice-governador, Wherles Rocha (PSDB). A lua de mel acabou.

Não foi informado

Rocha afirmou em entrevista a um jornal local que não foi comunicado das exonerações. Algo significativo em uma relação que a priori deveria ser de parceria.

Não creio que esperava parceria

Mas creio que Rocha não esperava manter a parceria limpa com o governador Gladson após ter fechado aliança com o MDB de Cruzeiro do Sul.

A aliança inexplicável

Rocha fechou aliança com ninguém menos que Vagner Sales, que comanda por lá o MDB com o qual o PSDB travou uma briga pública feia nas últimas eleições. Com a aliança eles criam uma chapa paralela para enfrentar o candidato do governador, Ilderlei Cordeiro, ou algum ungido no lugar dele.

Tranquilo

Logo cedo conversei com Joelson Dias e ele disse que retomará seu trabalho na Associação dos Militares e que continua à disposição política do vice-governador Wherles Rocha.

Implicações

Sem dúvida que as exonerações são atos governamentais inquestionáveis e que todo mundo sabe que qualquer hora pode ser exonerado, mas as implicações políticas das exonerações destes militares serão grandes.

Acirramento

Já existe uma briga interna entre as militâncias do PP e PSDB. A tendência agora será o acirramento.

Ideologias descartáveis

Ideologias descartáveis estas da política acreana. Leila Galvão deixou o PT pelo MDB e Ariany Cadaxo deixou o PSB pelo PSDB. Isso é o que se chama mudar da água para o vinho.

Raríssimas excessões

A verdade é que nesta política bairrista acreana não há ideologias. Há conveniências, interesses próprios e apenas isso. Lógico com raríssimas excessões.

Sessão de debates calorosos

A sessão de quinta-feira (2) durou quase 12 horas de intensos e calorosos debates. O líder do governo, Ghelen Diniz, relatou pela inconstitucionalidade da maioria dos projetos apresentados por deputados e aí o circo começou o espetáculo.

Chico Viga e Wagner Felipe

Notas de elogios para o desempenho dos deputados Chico Viga e Wagner Felipe que mesmo sendo da base agiram com extrema coerência.

Edvaldo Magalhães, o dono da sessão

Mais quem realmente merece uma nota de destaque é o comunista Edvaldo Magalhães que sozinho conseguiu convencer 17 deputados, incluindo base, a aprovarem seu projeto e impôs uma derrota feroz ao líder do governo.

Edvaldo e Ghelen

Edvaldo Magalhães e Ghelen Diniz são dos melhores oradores que a Aleac tem atualmente e deram um show na sessão de quinta-feira.

Bom dia a todos
Por Gina Meneses da Folha do Acre

.

Veja também