O Vendedor de Sonhos e + 4 filmes para restaurar a esperança na humanidade

Em tempos de quarentena e isolamento social, onde tudo parece tão catastrófico e complicado, nada melhor do que tentar restaurar a esperança na humanidade. Provando que partilha deste mesmo pensamento, o público brasileiro recentemente engatou no filme brasileiro O Vendedor de Sonhos, baseado no best-seller de Augusto Cury e recentemente adquirido pelo catálogo da Netflix.

Pensando nisso, separamos uma lista com os filmes para assistir caso você queira continuar acreditando que os seres humanos podem ser bons e solidários, mesmo nos momentos mais difíceis. Então se você é do time dos que choram fácil, já vai preparando o lencinho, por que antes do arco-íris sempre tem a chuva, não é mesmo?

O VENDEDOR DE SONHOS

Dirigido pelo dramaturgo Jayme Monjardim e protagonizado por Dan Stulbach, César Troncoso, Thiago Mendonça, O Vendedor de Sonhos adapta uma das mais famosas obras do escritor e palestrante Augusto Cury em um filme que vem atraindo cada vez mais o público brasileiro no gigante do streaming.

Júlio César (Dan Stulbach), um psicólogo decepcionado com a vida em geral, tenta o suicídio, mas é impedido de cometer o ato final por intermédio de um mendigo, o “Mestre” (César Troncoso). Uma amizade peculiar surge entre os dois e, logo, a dupla passa a tentar salvar pessoas ao apresentar um novo caminho para se viver. Adaptação do best-seller homônimo do psicoterapeuta e escritor Augusto Cury.

À PROCURA DA FELICIDADE 

Considerado um clássico quando o assunto é histórias de superação, À Procura da Felicidade iniciou a parceria entre Will Smith e seu filho Jaden Smith, em uma das histórias mais tocantes deste século, baseada na jornada real de Chris Gardner, que foi de sem-teto a um bem sucedido corretor. No filme, Gardner é um pai de família que enfrenta sérios problemas financeiros. Apesar de todas as tentativas em manter a família unida, Linda (Thandie Newton), sua esposa, decide partir. Chris agora é pai solteiro e precisa cuidar de Christopher, seu filho de apenas 5 anos

Ele tenta usar sua habilidade como vendedor para conseguir um emprego melhor, que lhe dê um salário mais digno. Chris consegue uma vaga de estagiário numa importante corretora de ações, mas não recebe salário pelos serviços prestados. Sua esperança é que, ao fim do programa de estágio, ele seja contratado e assim tenha um futuro promissor na empresa. Porém seus problemas financeiros não podem esperar que isto aconteça, o que faz com que sejam despejados. Chris e Christopher passam a dormir em abrigos, estações de trem, banheiros e onde quer que consigam um refúgio à noite, mantendo a esperança de que dias melhores virão.

A LISTA DE SCHINDLER 

Voltando um pouco no tempo, A Lista de Schindler consagrou-se como uma das obras mais premiadas do cineasta Steven Spielberg e também narra uma história real. Neste caso, a inusitada história de Oskar Schindler (Liam Neeson), um sujeito oportunista, sedutor, “armador”, simpático, comerciante no mercado negro, mas, acima de tudo, um homem que se relacionava muito bem com o regime nazista, tanto que era membro do próprio Partido Nazista (o que não o impediu de ser preso algumas vezes, mas sempre o libertavam rapidamente, em razão dos seus contatos).

No entanto, apesar dos seus defeitos, ele amava o ser humano e assim fez o impossível, a ponto de perder a sua fortuna mas conseguir salvar mais de mil judeus dos campos de concentração e marcar para sempre o nome na história daquelas pessoas.

A VIDA É BELA 

Ainda mantendo o foco no regime nazista, A Vida É Bela imortalizou expressões como “Bongiorno Principesa!” aos quatro cantos do mundo e deu a Roberto Benigni um inesperado Oscar por seu trabalho como ator no longa que também dirigiu. 

No filme, durante a Segunda Guerra Mundial na Itália, o judeu Guido (Roberto Benigni) e seu filho Giosué são levados para um campo de concentração nazista. Afastado da mulher, ele tem que usar sua imaginação para fazer o menino acreditar que estão participando de uma grande brincadeira, com o intuito de protegê-lo do terror e da violência que os cercam.

INTOCÁVEIS 

Mesmo lançado em 2011, já foi tempo suficiente para que Hollywood corresse atrás de adaptar a história do francês Intocáveis, estrelado por  François Cluzet e Omar Sy, que juntos protagonizaram uma das amizades mais interessantes do cinema moderno. 

Philippe (François Cluzet) é um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático que não tem a menor experiência em cuidar de pessoas no seu estado. Aos poucos ele aprende a função, apesar das diversas gafes que comete. Philippe, por sua vez, se afeiçoa cada vez mais a Driss por ele não tratá-lo como um pobre coitado. Aos poucos a amizade entre eles se estabele, com cada um conhecendo melhor o mundo do outro.

.

Veja também