Tiro, porrada e bomba: as armas de “A Dona do Pedaço” para elevar a audiência

Algumas cenas de novelas se tornam tão icônicas que não saem mais da cabeça dos fãs. Romances, suspense, mortes trágicas e até quebra pau podem entrar para a história da TV, garantindo um momento inesquecível nas novelas. E o autor de “A Dona do Pedaço”, Walcyr Carrasco, sabe bem disso.

Com uma audiência que veio ruim de “O Sétimo Guardião”, o autor na novela das 21h tem usado alguns truques para garantir o bom ibope de “ A Dona do Pedaço ”. O principal deles, e que teve o efeito esperado, foi a cena do tiro de Maria da Paz ( Juliana Paes ) em Régis (Reynaldo Gianecchini).

O capítulo após o tiro bateu os 44 pontos e elevou a média semanal do folhetim. Antes disso, porém, Carrasco já tinha usado o famoso “estapeamento” para tentar bombar o folhetim, mas sem o mesmo resultado. Confira outros truques usados na novela para melhorar a audiência:

Tiro

O tiro foi, de fato, certeiro. A repercussão foi grande e rendeu um aumento na média de audiência. Ao descobrir do romance do marido Régis com a filha Jô ( Agatha Moreira ), Maria atira no companheiro, que vai parar no hospital. O momento foi promovido com intensidade pela Globo, e a cena encerrou o capítulo de sábado, aumentando a expectativa para segunda-feira.

Porrada

Porrada é o que não falta na novela. Um núcleo dedicado a lutadores de boxe poderia ser suficiente para suprir essa cota, mas o autor se inclinou para a famosa briga “de mulher com mulher”. Deu certo em folhetins passados como “Celebridade” e “Avenida Brasil”, e foi a aposta mais certeira. Embora não tenha repercutido tanto quanto o tiro, foi a primeira vez que a novela superou os 40 pontos.

Casal vai-não-vai

Essa é outra clássica das novelas, que aqui foi usada de forma “polêmica”: um homem e uma transexual. Britney (Glamour Garcia) e Abel (Pedro Carvalho) passaram meses ensaiando um romance, enquanto ele não sabia que a loira era trans. Quando finalmente ela jogou a real, foi mal tratada e abandonada por ele. Até agora a relação não progrediu, e essa enrolação deve seguir por toda a trama.

Chiclete (Sérgio Guizé) e Vivi (Paolla Oliveira) também tem um romance iô-iô, mas com um agravante: ele foi contratado para matá-la. Agora ele já confessou tudo e jogou a real, mas até isso acontecer foram muitas idas e vindas, enquanto ele se apaixonava e tentava cumprir sua missão ao mesmo tempo.

Assassinato

Nada como uma boa morte para garantir a audiência não? O mistério do “quem matou” é o mais comum, mas Jô tem se saído uma grande sociopata, capaz de fazer qualquer coisa para….para que mesmo?

A filha de Maria da Paz quer destruir a mãe e ficar com seu dinheiro porque diz que a mãe é cafona. Segue os passos de digital influencers e quer se tornar uma a qualquer custo, mesmo sem ter um pingo de simpatia. E nas horas vagas ela mata as pessoas que cruzam seu caminho.

O primeiro assassinato foi de Jardel (Duio Botta), que ela empurrou na frente de um caminhão. Mas o segundo foi o que mais teve comoção, só não da forma que a novela pretendia. Lucas (Kainan Ferraz) apareceu do nada chantageando Jô e teve um trágico (e vergonhoso) fim. Ela o jogou do alto de um prédio numa cena digna de novelas mexicanas.

Reviravoltas e mistério

Neste sábado (14) a novela chega a seu 100º capítulo, o que na Globo já virou sinônimo de reviravolta. João Emanuel Carneiro é o rei das reviravoltas, mas mudanças de rumo são comuns, não só para gerar imprevisibilidade, mas também como forma de mudar histórias que não caem bem com o público.

A principal delas em “ A Dona do Pedaço ”, será justamente a entrada de Bruna Hamú como Joana, filha de verdade de Maria da Paz. Com isso, um novo mistério começa: quem trocou o bebê de Paz na maternidade?

Veja também