Covid-19: Alto Acre regride para faixa vermelha; governador anuncia toque de recolher e cancela o carnaval

Baixo Acre saiu da faixa amarela para laranja, que é de alerta. Toque de recolher deve começar na segunda (25) das 22 horas às 6 horas. A medida vale para todas as regionais.

O Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 reclassificou, nesta sexta-feira (22), as regionais do Alto Acre e Baixo Acre e Purus para as faixas vermelha e laranja, respectivamente. A regional do Juruá/Tarauacá permaneceu na fase amarela, que é de atenção. Presente na reunião, o governador Gladson Cameli anunciou toque de recolher e o cancelamento do carnaval no estado.

A reclassificação trouxe a regressão destas duas regionais, sendo que o Alto Acre, que estava na faixa amarela, desceu para a fase de emergência, que é representada pela cor vermelha. Já o Baixo Acre, que inclui a capital acreana, Rio Branco, saiu da fase de atenção para a de alerta.

Esta é a 16ª coletiva do Pacto Acre sem Covid. A avaliação ocorreu nas duas últimas semanas epidemiológicas, com análise entre os dias 3 a 16 de janeiro. A próxima avaliação deve ser divulgada no dia 5 de fevereiro.

No último dia 8 de janeiro, o Comitê manteve as três regionais do Acre na faixa de atenção, representada pela cor amarela. Na avaliação anterior, no dia 23 de dezembro, todas as regionais também foram colocadas na faixa amarela.

O Acre registra mais de 45,7 mil infectados pela Covid-19, conforme dados do boletim da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre). O número de mortes chegou 844 na quinta-feira (21) no estado acreano.

Aumento de 450% na ocupação dos leitos clínicos no Alto Acre

A coordenadora do comitê, Karolina Sabino, explicou qual o principal fator que fez com que a regional do Alto Acre regredisse da faixa amarela para a vermelha, sem passar pela laranja.

“Para a evolução negativa dessa regional para a bandeira vermelha, podemos observar que houve piora no isolamento social, uma redução de 3%, ou seja, as pessoas estão mais na rua. Além disso, teve piora no índice de internações por síndrome respiratória aguda grave, piora no número de caso de Covid-19, com aumento de 24% e o índice de óbitos por Covid também teve um aumento. Também houve piora considerável com relação à ocupação dos leitos clínicos, com aumento de 450%”, informou.

Sobre a regressão da regional do Baixo Acre, a coordenadora disse que o que mais impactou foi o índice de isolamento social que teve uma redução de 8%, assim como a ocupação de leitos clínicos que teve um aumento de 40%.

“As medidas que vão ser adotadas agora são mais rígidas, a regional na última classificação estava em amarela, tendo nesse caso a permissão do funcionamento de todos os seguimentos das atividades sociais e comerciais, com percentual de 50%. Hoje, todas elas passam a funcionar com a capacidade permitida de 30%, segundo as regras estabelecidas no decreto”, afirmou.

Karolina voltou a pedir que a população mantenha as medidas e protocolos de segurança para que o estado volte a ficar em bandeira mais favorável.

“Tivemos uma piora no cenário, mas ainda é uma piora controlada. Então, por conta disso, nós sempre reforçamos aqui o apoio de toda população em fazer parte desse processo. Para que, juntamente conosco, venha intensificar todas as medidas de cuidado, para que possamos ter dias melhores”, concluiu.

Entenda o que muda em cada região

  • Alto Acre: Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri – sai da faixa amarela para a faixa vermelha;
  • Baixo Acre e Purus: Acrelândia, Bujari, Capixaba, Jordão, Manoel Urbano, Plácido de Castro, Porto Acre, Rio Branco, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Senador Guiomard – sai da faixa amarela para a faixa laranja;
  • Vale do Juruá e Tarauacá/Envira: Cruzeiro do Sul, Feijó, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Rodrigues Alves e Tarauacá – permanece na faixa amarela.

Avaliação por regional

A avaliação do comitê leva em consideração sete fatores: índice de isolamento social; índice de notificações por síndrome gripal; índice de internação por síndrome gripal; índice de novos casos por síndrome gripal Covid-19; índice de óbitos por Covid-19; ocupação de leitos clínicos – Covid-19 e ocupação de UTIs Covid-19. Esses fatores são avaliados por porcentagem – exceto os óbitos que tiveram uma mudança na avaliação em dezembro do ano passado – em que o comitê faz a somatória e atribui uma nota a cada região.

A Regional do Alto Acre teve nota 16, segundo avaliação do comitê. Na última avaliação, tinha recebido a nota 9. O índice de novas internações por Síndrome de Respiração Aguda Grave (SRAG) teve aumento de 38%. O índice de ocupação dos leitos clínicos Covid-19 aumentou em 450% e ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) reduziu em 3%. Já o índice de novos óbitos aumentou em 50%. Os dados são comparados entre as semanas epidemiológicas analisadas.

No caso da Regional do Baixo Acre e Purus, a nota foi 13, a última tinha sido 12. Segundo o balanço apresentado, o índice de novas internações Síndrome de Respiração Aguda Grave (SRAG) teve uma redução 20% e na ocupação dos leitos clínicos um aumento de 40%. Com relação aos novos óbitos por Covid-19, houve uma redução de 46% e na ocupação de leitos de UTI redução de 3%.

A Regional do Juruá e Tarauacá/Envira recebeu nota 10, a última tinha sido 12. A regional teve redução na ocupação dos leitos de UTI Covid de 44%, assim como na ocupação dos leitos clínicos de 37%. Os índices de notificações por Síndrome de Respiração Aguda Grave (SRAG) aumentaram 60% e o de internações aumentaram 10%. A avaliação mostrou que o número de mortes reduziu em 67%.

Toque de recolher no Acre

Durante o anúncio do comitê, o governador Gladson Cameli informou a publicação de um decreto de restrição de circulação, que prevê toque de recolher das 22 horas às 6 horas. A medida vale para todas as regionais, independente da faixa em que estão. A previsão é que o decreto seja publicado na próxima segunda-feira (25).

“Estou determinando o toque de recolher das 22h às 6h. Nós não queremos aqui, de forma alguma, prejudicar ninguém. Não quero que achem que isso é retaliação. Isso é para alertar o povo que a Covid não passou e que as pessoas têm que nos ajudar”, disse Cameli.

Conforme o governo, durante esse intervalo de tempo, ambientes públicos e privados não vão poder ter aglomeração, implicando no fechamento em caso de descumprimento.

Durante o período, as pessoas vão poder circular, no entanto, não vão poder aglomerar. A fiscalização do cumprimento da medida vai ser feita por órgãos da Vigilância Sanitária, em parceria com a Segurança Pública.

Restaurantes, bares e demais estabelecimentos similares não vão poder funcionar para atendimento presencial ao público nesse horário de 22h às 6h. De acordo com o decreto, esses locais podem atender apenas com delivery ou retirada do produto pelos clientes.

“Sempre tenho falado que nossa prioridade é vida. Sei que está todo mundo está cansado, exausto, eu estou cansado, mas não vou abaixar a cabeça, vamos até o fim. Tenho pedido e até questionado a sociedade sobre o porquê não levaram a sério essa situação da Covid, porque é notório que não acabou, que não virou a página e, para virar a página, precisa-se do apoio de todos. Quero dizer às pessoas que realmente nos ajude, a equipe está cansada. Nós precisamos vencer esse inimigo, que é a Covid-19”, afirmou o governador.

Carnaval cancelado

Ainda segundo o governador, nos dias de carnaval não vai ter feriado no estado e também não devem ocorrer festas para evitar o aumento de casos e consequente colapso do sistema de saúde.

“Vai ser dia normal de trabalho porque não tenho certeza de como vai ser, então, já vou logo antecipar as discussões, para que ninguém ache que vai ter carnaval. Não vou colocar em risco a vida das pessoas. Se a população não ajudar e se der um colapso total, não vamos ter vaga para todo mundo. E fica a pergunta: você vai querer que se repita o que a gente já viu? Eu não. Então não vou demorar para tomar as decisões para ver o pior acontecer e depois chorar o leite derramado. Estou preocupado com o presente para que a gente possa se planejar para o futuro.”

Chegada da vacina

Ainda na coletiva, o governo falou sobre a chegada do primeiro lote da vacina contra a Covid-19 esta semana no Acre e disse que espera a chegada de mais uma remessa, mas ainda não há previsão para mais vacinas.

  • Vacinação contra Covid no Acre: veja perguntas e respostas

O primeiro lote com vacinas da CoronaVac chegou ao Acre na terça (19) por volta das 6h30. Em seguida, as doses foram distribuídas aos municípios. O Acre disponibiliza de mais de R$ 254 milhões do orçamento anual para a compra da vacina contra a Covid-19.

Ao todo, o estado recebeu 40.760 vacinas, que incluem primeira e segunda doses. A primeira remessa recebida nesta terça (19) vai imunizar, segundo a Sesacre, 19.402 pessoas do público-alvo. O grupo prioritário é formado por:

  • Trabalhadores da Saúde
  • Idosos com mais de 60 anos que estão em asilos ou abrigos
  • Indígenas em terras próprias

Fonte: G1 Acre

Veja também