Com polêmicas e discussões, deputados aprovam PEC da reforma da Previdência do Acre

Após mais de 10 horas, desde o tumulto nas primeiras horas do dia, os deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), aprovaram no fim da tarde desta terça-feira (26), a reforma da Previdência do Estado de autoria do Poder Executivo.

A votação ocorreu de maneira nominal, ou seja, cada parlamentar declarou seu voto publicamente. O placar foi o de interesse do governo, por 17 votos favoráveis, contra 6 da oposição.

Daniel Zen (PT) fez questão de agradecer a presença do diretor-presidente do Acreprevidência. “Ele esteve aqui explicando a matéria, se esforçou, mas não posso ser favorável. Mas, parabéns pelo esforço”, salientou.

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) usou o regimento interno da Casa, onde apresentou um requerimento para dizer que após aprovação na sala das comissões o “texto deveria ser colocado em pauta após 48 horas e publicação no Diário Oficial do parlamento”.

Após os discursos oposicionistas, Diniz destacou em questão de ordem na defesa do governo que o artigo 287, após de publicado o parecer (que foi aprovado hoje na sala das comissões), pode ser levado a votação antes das 48 horas.

No entanto, o requerimento foi derrotado e Gehlen orientou a base para que votem de acordo com os interesses do governo, foram eles: Roberto Duarte, Meire Serafim, Antonia Sales (MDB), Luis Tchê PDT), Raimundo Neném (SD), Chico Viga (PHS), José Bestene (Progressistas), Doutora Juliana (PRB), Manoel Moraes (PSB), Josa da Farmácia (Podemos), Antônio Pedro (DEM), Wagner Felipe (PTB), Nicolau Junior (Progressistas), Cadmiel Bonfim (PSDB) e Wendy Lima (PSL).

Já os oposicionistas, que votaram contra a proposta, foram os deputados Jenilson Leite (PSB), Fagner Calegário, Edvaldo Magalhães (PCdoB), Jonas Lima e Daniel Zen (PT) e Maria Antônia (PROS).

Fonte: ContilNet

Veja também