Solange Almeida se pronuncia sobre processo contra sócios da Aviões do Forró

Solange Almeida decidiu quebrar o silêncio e se pronunciou sobre o processo que começou a mover contra os sócios da banda Aviões do Forró, da qual fez parte por onze anos junto com o Xand Avião.

A cantora pede R$ 5 milhões por tudo que deixou de receber quando estava no comando da banda, além de tudo que pertence ao grupo, como estrutura e marca, que segundo ela foi construída com a sua ajuda.

Após explodir a notícia sobre a ação milionário que move na justiça, a famosa publicou um vídeo nas redes sociais na qual mostra o seu ponto de vista e justifica porque resolveu brigar judicialmente só agora, dois anos após a sua saída.

“Quero dizer pra vocês que realmente essa ação é verdadeira e sei que muita gente tem me julgado por isso. Eu aceitei tudo que foi proposto. A minha saída do Aviões estava pronta para ser no dia 1 de setembro de 2017. Anunciei que queria sair em 2015, chamei os sócios e disse que não ficaria mais na banda, que eu os daria dois anos. Aí eles me disseram, em 2016, que eles não iam continuar o Aviões do Forró. Falaram que iam acabar com a banda no dia 1 de setembro de 2017, que iríamos fazer uma turnê, ganhar muito dinheiro e esse era o acordo”, afirmou ela.

Solange continuou informando que foi impedida pelos donos da Aviões de conceder uma entrevista ao “Fantástico”. “Fui convidada pelo Fantástico para dar uma nota, para falar, e eles [empresários do Aviões] simplesmente não deixaram. Me colocaram dentro do quarto, no Piauí, e pediram pra eu fazer um vídeo com o Xand, e eu fiz. Mas levei a culpa inteira de que era uma ingrata, uma escrota, que eu queria mais dinheiro, ganhar sozinha, que eu era gananciosa. Não foi nada disso. Em momento algum eu quis prejudicar alguém”, assegurou.

“Eu esperei quase dois anos e nada foi feito. Eu estava perdendo tempo. Ingressei na Justiça de fevereiro pra março deste ano para que eu tivesse meus direitos reconhecidos. Trabalhei, dediquei uma vida, abdiquei de muita coisa. Tomei essa decisão porque eu cansei de ser saco de pancada, de ser a mais prejudicada, de pensar nos outros e esquecer de mim. Não foi só isso que aconteceu, muita coisa aconteceu. Mas eu não quero falar disso aqui”, continuou.

Ela encerra lamentando que a situação tenha chegado a este patamar. “De verdade, sinto pena e até choro, não queria que isso tivesse chegado a esse ponto. Vocês não sabem de nada, não tem ideia de tudo que eu passei. Mas uma hora vocês vão saber. Pro escândalo não ser bem maior do que está sendo. É fácil julgar, mas não queira provar nunca do pão que o diabo amassou”, finalizou.

O Blog do Leo Dias teve acesso ao processo e descobriu que Solange tinha direito por contrato a 25% da banda, mesmo assim, ela disse ter sido expulsa com a promessa de que receberia tudo o que tem direito, o que não aconteceu.

Em contrapartida, os empresários afirmam que o desejo de sair do grupo foi exclusivamente dela, e que a mesma os ameaçava dizendo que o grupo perderia força com a sua saída.

À coluna, o advogado dos donos da Aviões do Forró, Carlos Efrem, confirma a versão dos seus clientes e garante que Solange sempre recebeu o percentual que é de direito, e tem como provar, e que todo o material será entregue ao juiz.

Sobre a questão financeira, Carlos explicou: “Quando a Solange saiu, nós deixamos pra acertar com ela depois por conta da questão fiscal do Aviões do Forró, que a Receita estava em cima. A Receita ainda está operando e não autuou o Aviões, mas nós já fomos até lá e apontamos quanto de imposto deveríamos pagar e estamos pagando antes mesmo de sair a autuação. A empresa está pagando rigorosamente em dia seus impostos que devia e por isso deixamos para resolver a questão da Solange depois”.

Veja também