Cantora gospel Cassiane altera clipe acusado de romantizar a violência

Novo vídeo adiciona cenas em que a vítima de violência doméstica denuncia o marido

Com mais de 90.000 ‘dislikes’ no YouTube — medida que mostra a rejeição do público a um conteúdo no site —, o vídeo da canção A Voz, da cantora gospel Cassiane, ganhou uma nova versão após ser duramente criticado ao longo do fim de semana acusado de romantizar a violência doméstica.

Publicidade

Na primeira versão, o clipe mostrava uma mulher convivendo com o marido alcoólatra. Após ser roubada e agredida, ela faz as malas e deixa um bilhete na Bíblia – mais tarde, ele encontra o bilhete, no qual diz que ela ora por ele e o perdoa. Redimido, o homem a reencontra em um final feliz.

Agora, na nova versão, entre o bilhete e a fuga, a mulher liga para o 180. O marido é abordado por policiais em um bar e preso. A trama corre da mesma forma em seguida: ao voltar para casa, ele encontra o bilhete, se redime e a reencontra. Ao fim, uma cartela apresenta o número para denúncia e explica que violência doméstica é crime.

Lançado no dia 17 de julho, o clipe original já soma mais de 700.000 visualizações. Nas redes sociais, a cantora se defendeu: “Se me conhecessem ou pelo menos respeitassem minha história (de 39 anos dando frutos), com amor falariam: ‘Cassiane, seria bom colocar a informação da denúncia no clipe’.

É um assunto extremamente real. Mas não é isso que está acontecendo! Recebi vários ataques e julgamentos terríveis de pessoas que dizem ‘pregar o amor’ mas são tão insensíveis que não pararam um instante se quer para ver o histórico, para saber se foi proposital ou um erro, uma falha. Deus me conhece… E sabe que sou a favor da denúncia”.

Veja também