Adeus medicamentos! Essas 19 coisas te farão vencer a ansiedade (sem remédios!)

Todo mundo tem ansiedade de vez em quando, seja diante de uma prova difícil na escola, problemas financeiros, dramas familiares ou prazo de trabalho.

E, atualmente, vivemos em um mundo onde as pessoas tomam remédios para quase tudo.

Muitas pessoas sofrem de estresse e ansiedade crônicos. Elas enfrentam sintomas como nervosismo, agitação, tensão, coração acelerado e dor no peito.

Esses sintomas são geralmente intensos e desproporcionais aos problemas e perigos reais de sua vida cotidiana. Os médicos tendem a preferir medicamentos como uma forma de fornecer alívio da ansiedade.

Mas há uma ampla variedade de estratégias que podem ajudar com o estresse e que não são medicamentosas.

Ensine o seu cérebro a não entrar em pânico

  • Se você aprender a controlar a ansiedade por conta própria e de maneira segura, diminuirá seu o uso de medicamentos, e, quem sabe, até deixará de depender deles.
  • Gerenciar a ansiedade não significa que ela não exista mais. Você apenas aprenderá a lidar com ela de uma outra forma.
  • Superar a ansiedade precisa ser um estilo de vida, o que significa que você precisará trabalhar consistentemente para se manter são e equilibrado.

Estratégias para vencer a ansiedade sem medicamentos

1- Exercícios físicos.

Estudos da Anxiety and Depression Association of America descobriram que “a participação regular em exercícios aeróbicos demonstrou diminuir os níveis gerais de tensão, elevar e estabilizar o humor, melhorar o sono e melhorar a auto-estima”.

A atividade física ajuda a liberar os neurotransmissores de bem-estar chamados endorfinas, que fazem você se sentir mais feliz e menos ansioso.

2- Meditação.

Cada vez mais e mais estudos científicos comprovam a eficácia da meditação para o gerenciamento do estresse. Os neurocientistas constataram que a meditação pode realmente mudar o seu cérebro para melhor.

Ao meditar 40 minutos por dia, seu cérebro literalmente se amplia, especialmente as áreas responsáveis por empatia, compaixão, aprendizado, memória e regulação emocional. A região do cérebro que é responsável pela ansiedade, medo e estresse também se retrai.

3- Técnicas de relaxamento.

Algumas pessoas tensionam inconscientemente os músculos e apertam a mandíbula em resposta à ansiedade.

Deite em uma posição confortável e contraia e relaxar lentamente cada grupo de músculos, começando com os dedos dos pés e indo até os ombros e a mandíbula.

4- Respiração profunda.

Exercícios de respiração profunda e intencional são uma maneira fácil de informar seu corpo de que não há perigo real e não há o que temer.

Encontre uma posição em que se sinta confortável. Em seguida, inspire profunda e lentamente, primeiro na barriga, depois na caixa torácica e, depois, na parte superior do peito. Expire na ordem inversa.

5- Dieta saudável.

Estudos sugerem que comer alimentos ricos em ácidos graxos ômega-3 (linhaça, salmão, nozes, edamame, tofu, sementes de chia, ostras) pode reduzir a ansiedade.

Alimentos ricos em triptofano (como ovos, bacalhau, soja, aves e aveia) também desempenham um papel importante na química do nosso cérebro.

6- Terapia de dessenssibilização.

É um tipo de terapia que se concentra no conceito de que o cérebro humano não achará mais algo assustador se for exposto a ele por um longo período de tempo.

Deve ser realizada com a orientação de um profissional. É uma ferramenta que impede as pessoas de temerem o mundo à sua volta.

7- Um pouco de loucura.

Encontre um lugar privado e deixe-se gritar o quanto quiser. Você pode socar travesseiros ou jogar coisas no chão também (desde que não se arrependa disso depois).

Caso você seja o tipo de pessoa que guarda a tensão toda da semana dentro de você, essa será uma tática útil para tirar o mundo dos seus ombros.

8- Suplementos vitamínicos.

Bactérias intestinais saudáveis ​​podem ser uma forma de prevenir a ansiedade.

Em um estudo da Universidade de Oxford, depois de tomar suplementos prebióticos, os indivíduos ficavam menos ansiosos quando recebiam informações negativas. Também tinham níveis mais baixos de cortisol, o hormônio do estresse.

Probióticos e prebióticos podem ser ingeridos como alimentos ou como suplementos.

9- Medicina natural.

Algumas pessoas acham o processo de fazer e beber chás uma atividade relaxante, mas alguns chás podem ter um efeito de fato mais direto no cérebro, resultando em redução da ansiedade.

O chá de camomila pode ajudar a reduzir a ansiedade de maneira sutil. A maracujá também demonstrou ter um efeito positivo nos sintomas de transtornos de ansiedade.

10- Aromaterapia.

Um estudo de 2012 testou os efeitos da aromaterapia com lavanda na insônia em 67 mulheres com idades entre 45-55.

Os resultados sugerem que a aromaterapia pode reduzir a frequência cardíaca a curto prazo e ajudar a aliviar os problemas do sono a longo prazo.

11- Animais domésticos.

Os animais de estimação oferecem companhia, amor e apoio. E não é preciso que sejam peludos: um estudo de 2015 descobriu que cuidar de grilos pode melhorar a saúde psicológica dos idosos.

Passar tempo com animais também pode reduzir a ansiedade e o estresse associados a traumas.

12- Sono regulado.

Uma boa noite de sono deve ser prioridade.

A má qualidade do sono aumenta o risco de doenças crônicas, como ansiedade e depressão, assim como diminui a imunidade a doenças oportunistas, como o resfriado comum.

Pessoas que dormem mal também ficam mais expostas ao risco de acidentes.

13- Diálogo interior positivo.

Em vez de ter pensamentos negativos como: “Não consigo fazer isso, é muito difícil”, mude para algo mais positivo, como “Isso é difícil, mas posso superar”.

É útil fazer uma lista dos pensamentos negativos que ocorrem com frequência e escrever uma lista de pensamentos positivos e verossímeis para substituí-los.

14- Tanques de flutuação.

Também são chamados de tanques de privação sensorial. São à prova de som e cheios de água salgada, à mesma temperatura do seu corpo.

Eles permitem que você bloqueie todas as entradas sensoriais. São uma fonte potente de sossego e calma, que o ajuda a desestressar e relaxar.

15- Intestino regulado.

Você sabia que seu intestino e seu cérebro estão constantemente conversando um com o outro?

Quando as bactérias do seu intestino estão desequilibradas ou o seu intestino está irritado, ele envia sinais ao cérebro através do sistema nervoso central (SNC), provocando mudanças no seu humor.

16- Tapping.

Com essa técnica, você toca em sete pontos de acupressão em uma sequência específica enquanto pensa em uma experiência negativa. O objetivo é mudar a maneira como seu corpo responde a uma memória ruim.

Funciona para a maioria dos problemas relacionados ao estresse e vários transtornos de humor, incluindo ansiedade, depressão e dor.

17- Gorduras boas.

Quando não temos gordura suficiente em nossa dieta, nosso cérebro recebe o sinal de “insuficiente” e enlouquece. Abasteça-se de gorduras boas, como chocolate amargo de alta qualidade e abacate.

18- Passeios a pé.

Caminhar a pé define o ritmo entre mente e corpo.

É calmante, porque afrouxa os músculos tensos. Caminhar também estimula a respiração mais profunda, que é responsável por boa parte da eficácia dessa técnica para baixar a ansiedade.

19- Luz solar.

A vitamina D é um nutriente necessário para evitar a depressão, que, por definição, é um tipo de ansiedade.

Se não puder fazer uma caminhada ao sol, pelo menos tome um pouco de luz solar enquanto descansa, todos os dias.

O mais importante: seja paciente consigo mesmo

Seja paciente com seus novos hábitos de respiração, exercícios, meditação e alimentação.

Com perseverança e prática, você será capaz de enfrentar com mais facilidade os estresses de sua vida e aliviar a sua ansiedade!

Veja também